Ocorreu um erro neste gadget

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

O que é Tartrazina?

No último dia 18, a Justiça Federal de São Paulo determinou que a ANVISA deve alterar o normativo sobre o corante Tartrazina, em um prazo de 30 dias. A legislação atual exige que a existência deste corante em produtos deve constar no rótulo do mesmo. A nova exigência passará a ser de que estes produtos devem conter o seguinte aviso: " Este produto contém o corante amarelo Tartrazina, que pode causar reações de natureza alérgica, entre as quais asma brônquica, especialmente em pessoas alérgicas ao ácido acetil salicílico".


Mas afinal, o que é Tartrazina e quais são os efeitos do seu consumo???

A Tartrazina é um pigmento sintético que provoca a coloração amarelo-limão, mas que também pode causar alguns efeitos verdes, se combinada com outros pigmentos. É utilizada tanto como corante alimentar quanto em alguns medicamentos e cosméticos. Na alimentação, seu uso mais frequente ocorre em balas, gomas de mascar, gelatina e condimentos.

Os estudos sobre os efeitos da Tartrazina ainda não são conclusivos, entretanto ela é relacionada com a ocorrência de reações alérgicas em pessoas sensíveis a este corante, como: asma, bronquite, urticária, rinite, náusea, broncoespasmo, eczema e dores de cabeça. Em decorrência disso, a utilização deste corante é proibida em alguns países, como a Noruega, por exemplo.

A incidência de reações alérgicas decorrentes do consumo deste pigmento são baixas, conforme alguns estudos. Na população americana, não ultrapassa 4% da população. Porém, é importante o conteúdo dessas informações nos rótulos, visto que seus efeitos podem ser confundidos com efeitos colaterais de medicamentos.

Dentre os medicamentos que contém a Tartrazina, os principais são os antidepressivos. Mas, falando em medicamentos..as estatísticas mostram que cerca de 22% das pessoas que apresentam alergia à aspirina também desenvolvem as reações alérgicas decorrentes da Tartrazina.

A nova legislação fundamenta-se no fato de que a população tem o direito de obter informações precisas a respeito dos produtos que consome, bem como de seus componentes que podem ser nocivos à saúde.

O caso pode gerar polêmicas, mas é uma informação a mais para o consumidor. Basta agora haver divulgação sobre este corante e seus possíveis efeitos, visto que grande parte da população não em conhecimento a respeito do mesmo.

Quer mais notícias interessantes?? Clique aqui.

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Óleo de Palma

A palma está longe de ser apenas um vegetal típico do sertão nordestino, utilizado como alimentação animal e, eventualmente, como alternativa dos sertanejos para não passarem fome.
Atualmente, muitas utilidades para esta planta tem sido exploradas.

Cerca de 80% da produção mundial é destinada à indústria alimentícia: azeite de dendê, margarinas, produtos lácteos, sorvetes, bolachas, etc. (Sim! Para os que, assim como eu, desconheciam o fato: o óleo de palma é o tão conhecido azeite de dendê - típico da culinária baiana). Os outros 20% são aplicados com grande versatilidade: biodiesel, medicamentos, cosméticos, saponáceos, velas, lubrificantes...

A palma é uma planta de origem africana. Da polpa de seu fruto é produzido o Óleo de Palma e de sua semente é extraído o Óleo Palmiste (que difere do óleo de palma em termos de composição de ácidos graxos).

Nutricionalmente, o óleo de palma possui muitas características boas:
  • Apresenta composição equilibrada entre ácidos graxos saturados (ácido palmítico e ácido esteárico) e insturados (ácido oléico e ácido linoléico);
  • É fonte de carotenóides;
  • Apresenta antioxidantes em sua composição;
  • Apresenta grande quantidade de Vitamina E.
Os ácidos graxos saturados são considerados gorduras "ruins", pois são elas as responsáveis por danos ao organismo (como o acúmulo de gorduras nas artérias, por exemplo), entretanto, o ácido palmítico presente no óleo de palma é menos hipercolesterolêmico que os demais ácidos graxos saturados. Além disso, o óleo de palma tem um teor de gordura saturada bem menor que outros óleos, como o óleo de côco e o próprio óleo palmiste.

O ácido oléico é um ácido graxo monoinsaturado. Estudos demontram que este tipo de gordura pode ajudar a diminuir o colesterol LDL (conhecido como mau colesterol), além de manter os níveis de HDL (o bom colesterol) no sangue. Efeito este que também pode ser atribuído aos ácidos graxos poliinsaturados, como o ácido linoléico (ou ômega-6).

Os carotenóides são precursores de vitamina A, entre outras várias funções, ajuda a manter a saúde da pele, dos cabelos, auxilia o crescimento e a absorção de vitaminas.

A vitamina E também desemprenha diversas funções, dentre elas a prevenção de danos às células, formções de radicais livres e auxilia o bom funcionamento do sistema cardiovascular.

O óleo de palma apresenta um baixo custo de produção, por isso sua aplicação em produtos de tão diferentes áreas. Entretanto, nutricionalmente, os benefícios estão presentes apenas na forma bruta do óleo e são perdidos durante o refino. Para tanto, novos métodos tem sido desenvolvidos para evitar a perda desses componentes.

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, as gorduras não são maléficas ao organismo. O que provoca danos é o excesso do consumo deste nutriente. Conforme já dito acima, os lipídios tem participação na regulação do colesterol, no funcionamento do sistema nervoso, na saúde da pele, unhas, cabelos... Enfim, se não tiver excessos também não terá problema!!

Falando nisso, confira algumas opções de alimentação saudável visistanto a sessão Gastronomia do Portal Nutrição em Foco.

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Pra acabar com os "pequi" de Goiás!

Eu, como uma goiana de coração que sou (ja que na identidade eu sou gaúcha), adoro os pratos típicos de Goiás. E, nesta época, nada mais natural que um bom arroz com pequi no almoço.

Estamos recebendo duas primas do Sul do país em casa esta semana e mostrando a culinária típica para elas. Pamonha, curau, mané pelado... tudo aprovado. Mas na hora do pequi... a primeira impressão não foi das melhores.

Realmente, o pequi tem um sabor bem característico. Não é qualquer um que goste e, às vezes, pode demorar um pouco para a afinidade surgir. Além disso, sempre tem o medo dos tais espinhos que podem acabar com a festa de qualquer um que se atrever a dar uma mordida mais forte...

Entretanto, depois de aprender a apreciar o fruto, é só se divertir: pode ser consumido puro ou com outros alimentos (como arroz e frango), in natura ou em conserva. Nutricionalmente, sua compoisção é de maioria lipídica, apresentando os ácidos graxos oléicos e palmíticos. Também apresenta fibras e alguns antioxidantes.

É só deixar o preconceito de lado e saborear os pratos feitos com este fruto do cerrado.

Leia mais sobre o assunto no Portal Nutrição em Foco.

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Novidades nas férias

Final de ano, férias, viagem... Tem coisa melhor?

Passei os últimos dias de 2009 no Rio de Janeiro.
Não conheciaa cidade. Ameeeei. Não é atoa que há tantos elogios sobre o Rio. A viagem foi perfeita. Conheci lugares lindos e a companhia foi muito boa...

A única coisa que me atrevo a reclamar um pouquinho é do calor. Realmente, é como diz a música: "Rio 40 graus".

Para um sol tão escaldante e uma pessoa tão branca quanto eu, não há muito o que fazer, senão um protetor solar fator 50 na pele e opções bem refrescantes no cardápio.

Fui a um restaurante "natureba"e me encantei com as opções do cardápio. Muito diversificadas, saudáveis e nada de "comidinha sem graça"... Decidi experimentar algo diferente e acertei na escolha: Suco de amora.
Uma delííícia. Um doce-azedo que encanta qualquer um e, de quebra, uma cor bem chamativa pra combinar com qualquer prato.

A amora é rica em fósforo, potássio e cálcio e as vitaminas A, B e C. Contém ácido cítrico e tem propriedades depurativas, digestivas e refrescantes. Poderosas propriedades anti-oxidantes, por sua alta concentração de vitaminas C. A amora preta contém pectina em abundância, uma fibra solúvel que ajuda a reduzir os níveis de colesterol no sangue, e é muito recomendada aos que tem o organismo saturado de ácidos, como os que sofrem de reumatismo, gota, artrite.

Uma perfeita combinação de sabor, beleza e saúde!

Experimentem.

Leia mais sobre a amora no Portal Nutrição em Foco.



Beijoooos

E um feliz 2010 a todos!