Ocorreu um erro neste gadget

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Óleo de Palma

A palma está longe de ser apenas um vegetal típico do sertão nordestino, utilizado como alimentação animal e, eventualmente, como alternativa dos sertanejos para não passarem fome.
Atualmente, muitas utilidades para esta planta tem sido exploradas.

Cerca de 80% da produção mundial é destinada à indústria alimentícia: azeite de dendê, margarinas, produtos lácteos, sorvetes, bolachas, etc. (Sim! Para os que, assim como eu, desconheciam o fato: o óleo de palma é o tão conhecido azeite de dendê - típico da culinária baiana). Os outros 20% são aplicados com grande versatilidade: biodiesel, medicamentos, cosméticos, saponáceos, velas, lubrificantes...

A palma é uma planta de origem africana. Da polpa de seu fruto é produzido o Óleo de Palma e de sua semente é extraído o Óleo Palmiste (que difere do óleo de palma em termos de composição de ácidos graxos).

Nutricionalmente, o óleo de palma possui muitas características boas:
  • Apresenta composição equilibrada entre ácidos graxos saturados (ácido palmítico e ácido esteárico) e insturados (ácido oléico e ácido linoléico);
  • É fonte de carotenóides;
  • Apresenta antioxidantes em sua composição;
  • Apresenta grande quantidade de Vitamina E.
Os ácidos graxos saturados são considerados gorduras "ruins", pois são elas as responsáveis por danos ao organismo (como o acúmulo de gorduras nas artérias, por exemplo), entretanto, o ácido palmítico presente no óleo de palma é menos hipercolesterolêmico que os demais ácidos graxos saturados. Além disso, o óleo de palma tem um teor de gordura saturada bem menor que outros óleos, como o óleo de côco e o próprio óleo palmiste.

O ácido oléico é um ácido graxo monoinsaturado. Estudos demontram que este tipo de gordura pode ajudar a diminuir o colesterol LDL (conhecido como mau colesterol), além de manter os níveis de HDL (o bom colesterol) no sangue. Efeito este que também pode ser atribuído aos ácidos graxos poliinsaturados, como o ácido linoléico (ou ômega-6).

Os carotenóides são precursores de vitamina A, entre outras várias funções, ajuda a manter a saúde da pele, dos cabelos, auxilia o crescimento e a absorção de vitaminas.

A vitamina E também desemprenha diversas funções, dentre elas a prevenção de danos às células, formções de radicais livres e auxilia o bom funcionamento do sistema cardiovascular.

O óleo de palma apresenta um baixo custo de produção, por isso sua aplicação em produtos de tão diferentes áreas. Entretanto, nutricionalmente, os benefícios estão presentes apenas na forma bruta do óleo e são perdidos durante o refino. Para tanto, novos métodos tem sido desenvolvidos para evitar a perda desses componentes.

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, as gorduras não são maléficas ao organismo. O que provoca danos é o excesso do consumo deste nutriente. Conforme já dito acima, os lipídios tem participação na regulação do colesterol, no funcionamento do sistema nervoso, na saúde da pele, unhas, cabelos... Enfim, se não tiver excessos também não terá problema!!

Falando nisso, confira algumas opções de alimentação saudável visistanto a sessão Gastronomia do Portal Nutrição em Foco.

2 comentários:

  1. Mari, eu amei este post. É bom saber que suas leituras e redações estão sendo tão produtivas. Para mim, para você e para seus leirores. Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Como sempree seu blog cheio de informações novas, adorooo ler aqui!! =) beeeeeijo flor

    ResponderExcluir