Ocorreu um erro neste gadget

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Para o carnaval: água!

A água é o componente mais abundante do nosso corpo. Sua porcentagem em relação ao peso total varia de acordo com a fase do ciclo de vida em que o indivíduo se encontra, dependendo da proporção de músculos e gordura. No organismo, apresenta muitas funções metabólicas importantes e participa de praticamente todas as reações corporais. Ou seja, se não tiver água, nada funciona normalmente!


É aí que surge a desidratação. Basicamente, é a perda excessiva de água corporal e acontece quando a ingestão hídrica é menor que a perda de água. Pode ocorrer devido à vários motivos:

  • diarréia
  • vômitos
  • ingestão insuficiente de líquidos
  • urina em excesso (muito comum quando há o uso de diuréticos)
  • sudorese excessiva (principalmente em atividades físicas prolongadas e calor excessivo)
  • exposição prolongada à luz solar
  • febre
Muito se fala sobre a quantidade de água que deve ser ingerida diariamente, mas não se chegou a um consenso ainda. Uma quantidade aproximada seria de 35ml/kg de peso corporal. Entretando, não é facil se determinar essa quantidade, já que deve-se levar em conta as características metabólicas individuais, o tipo de atividade, a composição corporal, etc.

A desidratação é uma doença de fácil prevenção e tratamento, porém, apresenta sintomas graves e alta incidência. Ocorre mais facilmente e com mais severidade em crianças, já que a perdem água com mais facilidade. Os principais sintomas da doença são: dores de cabeça, fadiga, apetite diminuído, tontura, turgor cutâneo (elasticidade da pele) precário.

A sede é um bom parâmetro para o consumo de água. Quando sentimos sede é sinal de que já perdemos um pouco de água do nosso corpo, porém, uma pequena quantidade (cerca de 1% do peso corporal). Basta beber água é essa perda é reposta. Entretanto, a medida que a perda de água aumenta, as consequências se agravam. Quando a perda resulta em uma diminuição de 5% do peso corporal, o indivíduo sente uma extrema dificuldade de concentração. Quando essa perda chega a 10% do peso corporal, os sintomas são muito graves (insuficiência do volume sanguíneo - que está diminuído, insuficiência renal...) e quando atinge 20%, pode causar a morte.

Como prevenção, é importante ingerir líquidos (principalmente água) regularmente, usar roupas leves e frequentar ambientes arejados, higienizar alimentos (para evitar doenças gastrintestinais que facilitam a perda de água - p. ex: diarréia), etc. O tratamento varia com a gravidade da desidratação e pode ser apenas com reposição de água ou também com repoisção de eletrólitos, contidos em bebidas específicas ou no famoso soro caseiro (água + açúcar + sal).


Sendo a prevenção tão simples, vamos evitar a desidratação e beber muito líquidos. No Portal Nutrição em Foco você encontra muitas receitas de bebidas deliciosas e saudáveis.

4 comentários:

  1. Adorei Mari! Eu diria até mais: beber água antes de sentir sede. Assim a hipoidratação cai ano mínimo. Eu preciso comer mais frutas, que também tem água. Sou mais ligada às verduras e legumes, mas já fiz as comprar para lanchar frutinhas semana que vem. Beijo!

    ResponderExcluir
  2. É, a água é um santo remédio! Que postagem massa, Mari! E a Ju tá certa mesmo: beber água antes de sentir sede é a melhor forma de se manter hidratado! =**

    ResponderExcluir
  3. Água faz bem pra saúde e não engorda!!! hehehe Bjos!

    ResponderExcluir