Ocorreu um erro neste gadget

quarta-feira, 31 de março de 2010

Feliz Páscoa!!

Genteeee,
Postagem rapidinha e nada científica hoje, afinal, quem não gosta de páscoa??
É uma época muito linda e com um significado grandioso: o renascimento. Como se fosse um ano-novo interno.

Apesar disso, essa idéia ficou um pouco esquecida e a comercialização anda tomando conta. Bem, pelo menos envolve o chocolate, essa delícia que agrada a todos.

Desejo a todos uma feliz páscoa, com muita alegria e uns chocolatezinhos também, hehehe. Mas não vão esqucer da cenoura, hein?! xD

sexta-feira, 26 de março de 2010

Alimentação na Doença Celíaca

As pessaos que apresentam doença Celíaca, ou seja, intolerância ao glúten - uma proteína encontrada em cereais - precisam ter uma alimentação especial, excluindo este componente da dieta.

Não é uma tarefa fácil, visto que o glúten é encontrado em alimentos como: trigo, aveia, centeio, cevada e malte e seus subprodutos (farinhas, flocos, extratos, etc.). Esses alimentos são muito utilizados na alimentação, principalmente os derivados de trigo (como a farinha), tornando complicada a tarefa de excluir o glúten da dieta. Até alguns alimentos que aparentemente não contém glúten podem apresentá-lo em sua composição: queijos fundidos, achocolatados, congelados - como almôndegas, sorvetes, molhos...

Além disso, outra dificuldade é saber como um produto foi preparado para confirmar se ele contém ou não glúten. Em um restaurante, por exemplo, não se sabe se uma determinada preparação foi acrescida de ingredientes com glúten (muitos restaurantes adicionam farinha de trigo ao feijão para deixá-lo "mais grosso"). Uma outra possibilidade é uma limento sem glúten ter sido contaminado por resíduos de glúten de outra preparação, ao se utilizar uma panela mal higienizada, por exemplo. Esse fato também é muito comum na indústri, por se utilizar os mesmos equipamentos para preparações com glúten e as, teoricamente, isentas dele.

Mas seguir uma dieta isenta de glúten não é tão difícil assim.. Um pouco de conhecimento acerca dos produtos utilizados e criatividade na cozinha proporciona aos celíacos o prazer de se alimentar bem.

Primeiramente, os alimentos que são naturalmente isentos de glúten: frutas, hortaliças, carnes, leguminosas (feijões, lentilha, grão-de-bico...), leites e a maioria de seus derivados e condimentos não industrializados. Esses grupos de alimentos não contém glúten, a menos que ele seja adicionado durante o preparo. Portanto, é sempre bom se informar sobre o modo de preparo dos alimentos e, no caso de industrializados, LER SEMPRE OS RÓTULOS.

Para os alimentos que contém glúten, inúmeros substitutos já foram encontrados: arroz, milho, batata e mandioca são os principais, juntamente com seus derivados (farinhas, flocos, creme, fécula, etc.), além disso, outros como cará, inhame, quinua e amaranto também podem ser utilizados, embora um pouco mais caros e difíceis de encontrar, dependendo da região.

A partir desses substitutos, todas as preparações podem ser feitas: pães, bolos, biscoitos, macarrão, pizza, etc.

Quanto ao equilíbrio da dieta, todo celíaco, após adaptado à alimentação adequada, tende a ter um aumento do peso corporal e, desta forma, deve ter uma dieta balanceada. Para tanto, deve diminuir a ingestão de proteínas, moderar o consumo de gorduras e aumentar o consumo de frutas, sucos naturais, verduras e legumes, tornando sua alimentação mais variada e saudável.

Quer sugestões de preparações sem glúten? Clique aqui.

Quer ler mais sobre o assunto? O Portal Nutrição em Foco traz uma matéria especial sobre a alimentação de portadores de Doença Celíaca. Confira!

terça-feira, 9 de março de 2010

Benefícios da aveia

Em tempos de ração humana, os cereais e as sementes estão fazendo sucesso. A aveia é um dos ingredientes dessa mistura, então que tal conhecer um pouco mais sobre ela??

A aveia é um cereal que serve como alimento tanto para humanos quanto para animais. Quando processada, pode ser transformada flocos (inteiros, médios ou finos), farelo e farinha.

O grão de aveia contém um alto teor protéico, além de ser composta por proteínas de boa qualidade (que são melhores aproveitadas pelo organismo). Além disso, é constituído também por vitaminas, minerais como cálcio e ferro e substâncias antioxidantes – que podem atuar na diminuição do risco de algumas doenças.

Entretanto, uma de suas características mais importante são as fibras. As fibras presentes na aveia são as fibras solúveis, ou seja, estão relacionadas ao bom funcionamento intestinal e podem ser responsáveis pela diminuição dos níveis de colesterol do organismo. Além disso, elas retardam o esvaziamento do estômago, prolongando a sensação de saciedade e, desta maneira, o indivíduo sente menos fome (ta vendo porque ela é ingrediente da ração humana?). A quantidade de fibras é maior no farelo de aveia, seguido pelos flocos e pela farinha.

Além de benéfica à saúde, a aveia é muito saborosa também. Compõe pratos de panificação, lanches, vitaminas e sucos e outros bem diferentes, como Almondegas com aveia. Confira outras opções na seção Gastronomia do Portal Nutrição em Foco.

Gostou das informações?? Então leia a matéria completa na seção Alimentos.

terça-feira, 2 de março de 2010

Ser vegetariano...

As dietas vegetarianas são, a grosso modo, aquelas que não incluem produtos animais no cardápio. Como o próprio nome diz, baseia-se em vegetais: frutas, hortaliças, cereais, castanhas, etc. Não é nada fácil ser adepto do vegetarianismo, ja que vivemos em uma sociedade que consome grande quantidades de carne e, além disso, alguns cuidados são necessários para manter-se saudável.

Historicamente, os primeiros relatos sobre o vegetarianismo são encontrados em literaturas da Índia e da Grécia, no séc. VI a.C., ambas com um propósito de proteção aos animais. Atualmente, as razões para quem adota este tipo de dieta são diversas: éticas, políticas, ambientais, econômicas, saúde, estética, entre outras.

Existem vários tipos de dietas vegetarianas:

  • lacto-ovo vegetariana: dentre os produtos animais, incluem ovos e leite e derivados no dia-a-dia
  • lacto-vegetariana: inclui apenas o leite e seus derivados
  • ovo-vegetariana: inclui apenas ovos em sua dieta
  • semi-vegetariana: inclui frango e peixe na dieta, mas esta prática não é reconhecida como uma dieta vegetariana pela Sociedade Vegetariana
  • vegana: exclui qualquer produto de origem animal, sendo composta apenas por alimentos vegetais
Dentre esses tipos, o veganismo é o mais restritivo, e é visto não apenas como uma opção alimentar, mas como um estilo de vida. Muitas vezes, os produtos animais são evitados não só na alimentação, mas no dias-a-dia, como: couro, lã, pele, mel, gelatina, que variam de acordo com o indivíduo praticante.

De acordo com a American Dietetic Association, é sim uma dieta viável do ponto de vista da saúde, pois fornece todos os nutrientes necessários ao organismo, entretanto, casos em que as restrições são severas podem trazer prejuízos à saúde.

Tudo depende de como esta dieta é seguida, já que algumas incluem grandes quantidades de frituras, massas (mais calóricas), molhos (muita gordura e sódio), etc. Além disso, a exclusão de produtos animais pode causar deficiência de ferro (o que leva a anemia), de cálcio, de vitamina B12, etc.

A dieta vegetariana pode ser muito saudável, se seguida corretamente, contendo alta quantidade de fibra, vitaminas, minerais, antioxidantes, entre outros benefícios advindos dos vegetais...

Basta escolher a receita certa para as preparações do dia-a-dia. Confira o Portal Nurtição em Foco.